top of page

Manual de Feiras da Junta Local

20170507-junta-local-capistrano-25.jpg

Nossa história

As feiras da Junta Local são espaços de troca e interação entre produtores que fazem parte da nossa comunidade e o público, com o objetivo de celebrar a comida boa, local e justa e aprofundar a conexão entre quem come e quem faz.

Ao longo da história, as feiras e mercados tiveram papel central nos sistemas alimentares locais e na conexão entre cidade e campo, mas foram perdendo seu espaço.  

 

Fazemos parte de um movimento mais amplo que ao mesmo tempo resgata e renova a  função e o espírito das tradicionais feiras e mercados de produtores, reconhecendo a importância destes espaços não apenas para sistemas alimentares locais, mas também para a preservação da biodiversidade e cultura local, o empreendedorismo e o convívio urbano.

O que não muda é a relação direta com o produtor num espaço livre e democrático, se inspirando nas feiras livres e orgânicas das cidades. O que a Junta Local traz de novo é incorporação de novas capacidades (como gestão, curadoria gastronômica e apoio) e um olhar mais amplo que busca agregar às feiras gastronomia, cultura e a valorização de ingredientes e produtores locais. É por isso que, além da presença de pequenos produtores, com curadoria e coerência com nossos valores, as feiras da Junta Local sempre trazem novos elementos, como empreendedores gastronômicos e programação cultural.

 

Outra particularidade é a interface com plataformas online. Inclusive, na concepção original do projeto, as feiras aconteciam de forma simultânea às entregas de pedidos feitos pela Sacola da Junta, nossa antiga plataforma online de relação direta com produtores. Além da importância do olho no olho e poder provar incríveis produtos e comidas, a premissa era simples: o consumidor poderia continuar sua relação com os produtores pelo nosso site; o produtor não precisaria depender exclusivamente das feiras ou do online.

O que são as Feiras?




Ao longo dos anos as feiras foram evoluindo e tomando vida própria, ainda que preservando a complementaridade com o online. Em seu formato original, a primeira feira da Junta Local foi realizada no dia 24 de agosto de 2014, na antiga Comuna da Rua Sorocaba, em Botafogo. Em 2015, as feiras foram desvinculadas da entrega da Sacola da Junta e em 2017 obtivemos o primeiro apoio da prefeitura para realização das feiras em áreas públicas dentro de um calendário regular. Ao longo de todo esse tempo, realizamos feiras em diferentes formatos, enfrentamos novos desafios e colhemos aprendizados na organização e realização.

Em 2020 a Junta Local começou a atuar de forma mais consistente na produção de Eventos, seja na ativação de espaços físicos que chegou a ocupar (Moinho Fluminense e Rua do Mercado), ou na curadoria e produção de festivais de música e outros.

Em 2023 iniciamos um novo formato de feira, a feirinha, com recorrência semanal. 

Seguiremos evoluindo, certos de que a feira da Junta Local é antes de qualquer coisa uma feira no sentido original do termo, um mercado de rua, onde "quem come" pode conhecer de fato “quem faz”, se sentir parte de uma cultura que valoriza a localidade e sazonalidade, descobrir e criar laços com produtores, expandir o paladar e, claro, abastecer suas sacolas de comida boa, local e justa.

Modalidades de feira

Atualmente, dividimos nossa atuação em Feiras, Feirinhas e Eventos.

FEIRAS

As feiras são nosso encontro marcado para interagir diretamente com quem faz parte da comunidade de produtores da Junta Local. Colocamos nossas barraquinhas na rua para promover o olho no olho e despertar apetites e curiosidade. Saber quem faz e de onde vem a comida boa, local e justa. Celebrando a conexão entre cidade, campo e cozinha. 

 

Atualmente realizamos as feiras de circuito, que se repetem no mesmo lugar e fim de semana do mês - Botafogo, Gávea, Tijuca - e as feiras especiais, que em sua maioria estão associadas a parcerias com Museus da cidade - Museu da República, MAM e CCBB.

EVENTOS

Em 2023 inauguramos a feirinha, um novo formato "raiz" da feira da Junta Local. Com frequência semanal, num horário diferenciado, começando e terminando mais cedo - de 8h às 15h - e uma curadoria voltada para produtores rurais e produtos para levar na sacola, a feirinha tem como objetivo aprofundar o compromisso entre quem come e quem faz, entre campo e cidade.

 

A recorrência e formato facilitam, por um lado, a vida do produtor no campo, que pode se planejar e construir sua clientela no bairro e, por outro, a vida de quem está em busca de verdinhos e coloridos frescos e outros produtos direto da nossa comunidade.

FEIRINHAS

Por fim, realizamos outros eventos, atuando desde a curadoria gastronômica até a produção, mas sempre com o mesmo foco de aproximação com o público, explorando temáticas relacionadas à comida boa, local e justa e contando com produtores convidados externos.

20151220-jlocal-centro-espaco-14.jpg
2021-10-17-junta-local-gavea-5 (1).jpg
DSCF7863.jpg
20180318-junta-local-gavea-44.jpg

Os valores da nossa feira

201711-juntalocal-capistrano-60.jpg

uma feira diversa

Quem vai à feira busca a variedade de produtos que pretende consumir no seu cotidiano, mas também descobrir novidades e desafiar seu paladar. A oferta da feira deve ser diversa, com produtos para levar para casa e produtos de consumo imediato, enchendo sacolas e barrigas. É feira de produtores? É feira orgânica? É feira natubera? É feira gastronômica?

É tudo isso, junto e misturado. 

2021-10-17-junta-local-gavea-1.jpg

uma feira com curadoria e gestão

Participam das feiras produtores que fazem parte da Junta Local, ou seja, produtores que estão unidos em torno dos valores da comunidade que, após uma curadoria inicial, passaram a fazer parte do Modelo Ajuntatativo. Mas a curadoria não para aí. Temos um olhar que busca definir o mix ideal de produtores para cada feira, o posicionamento de cada um, e também acompanhar produtos e ingredientes utilizados. A premissa é que essa gestão é uma forma de tornar a feira como um todo melhor e assim também apoiar cada um individualmente.

DSCF7833.jpg

uma feira democrática e acessível

A Junta Local considera que a comida boa, local e justa deve ser acessível e deve ser cada vez mais democrática. A feira parte da mesma premissa de todas as nossas plataformas: flexibilidade e baixo custo de participação, permitindo que o produtor seja bem remunerado. A forma como o produtor precifica seus produtos e se propõe a participar da feira deve ser coerente com essa premissa.

201711-juntalocal-capistrano-68.jpg

uma feira sustentável

A Junta Local busca trabalhar a sustentabilidade da comida da sua origem ao seu destino final. Devemos nos preocupar com as embalagens e com o destino de resíduos, com a comunicação das características das matérias-primas e dos processos produtivos utilizados, e com as relações que se criam a partir do empreendimento - sustentabilidade social.

Cópia de Bernardo-Cartolano-Casa-Firjan-VNC24-DSC05721.jpg

a feira não é venda

O termômetro de sucesso de uma feira não deve ser apenas o volume de vendas. A qualidade da interação com o público e a disseminação da visão da Junta Local são elementos tão importantes quanto os aspectos comerciais e norteiam o planejamento da feira e o espírito dos produtores.

DSCF7862.jpg

feira é feira

Devemos incorporar o ethos do feirante: as feiras acontecem faça chuva ou faça sol
(exceto em caso de condições climáticas muito adversas, em que são canceladas com até 48h de antecedência), elas acontecem nas ruas, sem necessariamente uma grande infra-estrutura de apoio, e até com um certo grau de improviso e rusticidade.

DSCF7890.jpg

uma feira de quem faz

A feira é um local onde produtores vendem diretamente para consumidores, sem intermediários. Quem vai à Junta Local não vai apenas para consumir, vai para conhecer a origem dos produtos e história de quem produz. Nesse sentido, a presença do produtor deve ser uma característica da feira, sempre que possível. Ainda assim, todas as pessoas parceiras e da equipe que estiverem na barraca precisam estar alinhadas com os valores e princípios da Junta Local e em pleno conhecimento dos produtos e da produção da história que representam.

2022-05-14-junta-local-mam-96.jpg

uma feira gastronômica

A Junta Local é uma feira que tem como objetivo fortalecer a produção local e mobilizar a gastronomia como ferramenta de conhecimento. A presença e curadoria de produtores
gastronômicos é feita com esses parâmetros em mente, buscando aproveitar o potencial da nossa rede interna de produtores e ampliar nossos horizontes gastronômicos.

20180901-juntalocal-capistrano-35.jpg

uma feira colaborativa

A Junta Local não é uma empresa que  produz eventos gastronômicos. A feira surge como decorrência do nosso propósito, como um meio e não um fim. Apesar das barracas serem individuais, a feira é coletiva, pertencente a todos e com funcionamento colaborativo, desde o planejamento e realização até a avaliação. A Junta Local se esforçará para facilitar diversos aspectos da feira, seja fazendo pedidos coletivos de gelo, montando áreas técnicas ou de estoque. O produtor deve se manter atento ao aspecto colaborativo desses serviços, bem como em seguir as regras e orientações, reforçando nossos valores e reduzindo os custos.

Como participar?

É na presença nas feiras da Junta Local que o produtor tem a oportunidade de conhecer a nossa comunidade de clientes, novos espaços da cidade, trocar com outros produtores e trazer mais comida boa, local e justa para as ruas.

 

Apesar da organização do calendário ser anual, nossas feiras ainda sofrem muitas alterações de data e locais dentro desse período. Dessa forma, compartilhamos, em meses alternados, através do nosso Boletim mensal o calendário de feiras e feirinhas para os próximos dois meses. Junto com essa divulgação, um formulário do Google é enviado para que o produtor possa preencher sua disponibilidade nas datas do período. 

 

É importante ressaltar que o preenchimento é obrigatório e o produtor deve indicar sua disponibilidade para as datas e não a sua preferência. Assim viabiliza a curadoria em coerência com os critérios descritos aqui no Manual, na nossa carta de valores e os aspectos específicos de cada feira (como público, perfil e especificidades do evento, parcerias, etc). Caso possua alguma restrição ou preferência que queira ressaltar após preencher o formulário é só enviar um e-mail para comunidade@juntalocal.com - por exemplo, sou o produtor x e tenho disponibilidade para o dia 14 (sábado) e 15 (domingo), apesar de marcar os dois dias, só consigo fazer uma feira por fim de semana.

 

O formulário fica aberto durante uma semana para preenchimento, e a escalação - ou seja, a lista de participantes de cada feira - é enviada uma semana depois por e-mail para todos os produtores. Caso tenha alguma mudança de disponibilidade - como não poder mais fazer uma feira que foi escalado ou para se disponibilizar a fazer uma feira que não foi escalado - ela deve ser enviada como resposta a esse e-mail.

(A participação em eventos ou outras atividades se dá através de chamadas ou convites diretos. O formato de cada varia, mas sempre seguimos a premissa de tratar estas oportunidade como maneiras de promover nossa comunidade dentro da proposta de colaboração e baixo custo.)

Confirmação de feiras

Até 7 dias antes da feira um e-mail de confirmação é enviado para todos os produtores escalados, a resposta desse e-mail é obrigatória, confirmando ou cancelando a participação. Cancelamentos devem ser evitados, mas se feitos até 48 horas antes da feira não acarretam em realizar a contribuição mínima. Caso a não participação não seja avisada dentro desse prazo, é cobrado o piso mínimo da feira, visto que a barraca não poderá ser preenchida. Caso haja previsão de chuva forte, a feira poderá ser cancelada com antecedência de até 48 horas. Mas lembramos que feira é feira, e nossa política consiste em apenas suspender a feira em casos de intempéries muito graves.

 

Até 2 dias antes da feira é enviado um e-mail de orientações, confirmando as seguintes informações: horário e endereço da feira, acesso para carga e descarga, mapa com localização das barracas de cada produtor e outras informações específicas de cada feira como presença ou não de área técnica, pernoite de material, programação de atividades e afins.

Os documentos padrão para o produtor participar de uma feira são:

> SEFAZ (Autorização de funcionamento provisório fornecida pela Secretaria da Fazenda)

> LSAT (Licença Sanitária fornecida pela Vigilância Sanitária) 

 

Como já existe uma prática e apoio da prefeitura para as feiras e outros eventos cuja produção é nossa, não é necessário tirar esta documentação por padrão na Junta Local. 

Apesar disso, essas documentações são necessárias quando estamos dentro de outros eventos como convidados ou em feiras específicas fora do calendário regular. Ao realizar a escalação destas feiras reforçaremos a necessidade de documentação e recomendamos a contratação de uma despachante para viabilizar esses processos, que ainda são muito burocráticos, com horários bem restritos e necessidade de solicitar presencialmente. 

 

Apesar disso, todo produtor deve ter sua produção e operação no dia da feira alinhadas com a legislação sanitária para a realização de eventos, desde o armazenamento e manipulação de alimentos, até vestimenta própria para trabalho e realizar obrigatoriamente o curso de Boas Práticas da Vigilância Sanitária (mais informações no email de Bem Vindos a Junta Local).

Preciso de alguma documentação?

201911-museu-da-republica-15.jpg
2021-12-05-junta-local-leblon-51.jpg

Qual estrutura que eu preciso?

Cada produtor terá uma estrutura padrão fornecida pela Junta Local em cada feira. Ela é composta por:

- Barraca, que pode ser P (120x90cm) ou G (180x90cm) a depender da operação do produtor

- Mesa de apoio P (120x90cm), quando necessário para produtores com manipulação de alimentos na feira

- Elétrica, para aqueles com preparação de alimentos na feira. Será considerada a carga e descrição de itens padrão de cada produtor, informada no formulário de ajuntamento, e que pode ser alterada até 48h antes da feira. 

 

Além disso, incentivamos para que levem itens para caracterização da barraca conforme seu empreendimento, seja com decorações, toalha para a barraca, cardápio, placas de identificação e informações, etc. 

Buscamos do ponto vista estético uma certa padronização e comedimento, apesar de cada produtor ter liberdade para utilizar suas estruturas de divulgação da forma que achar melhor, desde que isso não interfira no fluxo da feira. Além disso, temos placas para divulgação da Junta Local que ficam presas em algumas barracas.

Como funciona o recebimento nas feiras e a contribuição?

Cada produtor é responsável pelo seu sistema de pagamento, podendo trabalhar com dinheiro, PIX ou maquininhas de cartão que mais fizerem sentido para seu negócio.

 

O produtor deve realizar o controle de suas vendas, fechando ao final da feira seu faturamento bruto total. Aqui deve ser considerado o valor final de vendas nos diversos meios de pagamento e não devem ser descontados custos de operação, taxas de cartão, custos com equipe, etc.

Mudança de oferta nas feiras

A inserção de novos produtos ou preparos na feira, distintas da proposta original avaliada na nossa curadoria, deve ser informada com antecedência por

e-mail (comunidade@juntalocal.com) para avaliação. 

2021-11-13-junta-local-museu-republica-4.jpg

Contribuição nas feiras:

Em cima desse faturamento bruto o produtor deve calcular 23% e realizar em até 3 dias sua transferência da contribuição e preencher o formulário de envio para o financeiro. Link aqui.

 

Caso o resultado do cálculo dos 23% seja abaixo do mínimo de contribuição da feira em questão, a transferência deve ser feita conforme o valor mínimo. Os mínimos variam de acordo com o local da feira e entre barracas com e sem elétrica. Atualmente, o padrão é de R$150 para barracas sem elétrica e R$250 para barracas com elétrica. 

Por ex. Produtor gastronômico com uso de elétrica, teve um faturamento total de R$1000. 23% deste valor é R$230, que está abaixo do mínimo para barracas com elétrica de R$250. O produtor deverá transferir então R$250. 

Contribuição nas feirinhas:

Na feirinha temos um modelo de contribuição diferente, determinado de acordo com faixas de faturamento e categorias de produtor, que você confere aqui embaixo. 

Modelo Financeiro Feirinha.png

Dados da Junta Local

Itaú


Agência 2611

Conta Corrente 24136-1


Pix: 22.030.566/0001-07


Razão social: Junta Local Producoes LTDA


Nome Fantasia: Junta Local


CNPJ: 22.030.566/0001-07

Fluxo de Feira

Antes da feira

Para a montagem das barracas e configuração elétrica de cada feira, serão levadas em consideração as informações fornecidas no cadastro de cada produtor. Mudanças das definições técnicas padrão ou mudanças específicas para uma determinada feira devem ser informadas pelo e-mail de confirmação de feira, e serão analisadas de acordo com as possibilidades.

No dia da feira

O gerente

Cada feira possui um gerente (sempre identificado com crachá ou camisa da Junta Local),  responsável pela recepção e posicionamento de barracas. Dessa forma, sugerimos que confira a sua barraca com o gerente para evitar mudanças depois de realizar toda montagem. Além disso, para a montagem das barracas e configuração elétrica de cada feira, serão levadas em consideração as informações fornecidas no cadastro de cada produtor, sempre fornecemos uma ponto de energia 110v e um ponto 220v, caso precise de mais que isso, é necessário levar extensão ou filtro de linha próprio.

Horários, pontualidade e saída antecipada

A pontualidade é essencial para a experiência da feira. Do ponto de vista da logística e da produção, os horários de carga e descarga e de montagem são pensados para evitar transtornos, cumprir acordos com espaços parceiros e permitir o começo da feira no horário previsto. Do ponto de vista do público e da comunidade, o começo pontual da feira é importante pois muitos se deslocam especialmente para estarem presentes no começo da feira e a ausência de produtores leva à sensação de que a feira ainda não começou, o que prejudica a venda de todos. No caso de imprevistos que levem a atrasos, é importante que a produção seja informada, de forma a poder auxiliar e minimizar os impactos do incidente. Produtores atrasados devem assinar a folha do gerente de feira e serão cobrados uma multa de R$50 para cada 3 atrasos acumulados dentro do semestre. A virada da contagem será junto com a virada do cálculo de mensalidade. Esta regra foi acordada coletivamente em Assembleia. 

 

Além disso, a presença de produtores é compreendida de dois modos. Em primeiro lugar, pela premissa da Junta Local de que a feira é um ponto de interação direta

entre produtor e consumidor, a ausência do produtor nos distancia deste ideal, comprometendo o espírito da feira. É importante que o produtor esteja presente dentro do possível, ou que as pessoas que o representem tenham uma história e engajamento com o empreendimento.

 

A presença também se estende aos momentos em que a feira não apresente público bom ou, ao contrário, apresente um cenário de esgotamento de produtos antes da hora do término. Dessa forma, saídas antecipadas devem ser comunicadas e justificadas ao gerente da feira. A presença dos produtores nessas circunstâncias também contribui para o espírito da Junta Local.

Gelo

Para facilitar a logística dos produtores que utilizam gelo, realizamos em todas as feiras uma compra coletiva de sacos de gelo filtrados e em escamas. Os produtores podem responder ao email de orientações com o quantitativo que vão precisar, ajudando assim no planejamento da produção. 

No dia do evento devem se dirigir ao bar da Junta e falar com o responsável pelo mesmo, que irá pegar o saco de gelo e recolher a assinatura do produtor. O valor de venda de cada saco é exatamente o que pagamos - normalmente R$12, sendo o saco de gelo escama de 20kg e o saco de gelo cubo (filtrado) de 10kg. Porém, para alguns eventos pode ter um preço diferente. Caso prefira, sempre confira esse valor ao pegar seu gelo com o responsável do bar. Na semana após a feira é enviado em e-mail confirmando o uso dos gelos, e com o valor a ser pago via PIX.

Resíduos

Depois da feira

Os produtores devem tomar medidas para diminuir e/ou aproveitar o lixo produzido, priorizar embalagens que sejam retornáveis e/ou ecológicas. Além de se responsabilizar pelo descarte adequado do lixo acumulado na barraca ao longo da feira. Caso tenha alguma dúvida é só procurar o gerente. A nossa equipe de produção está estudando formas e buscando melhores soluções para o lixo descartado pelo público. Caso o produtor utilize óleo durante o evento e quiser descartá-lo, ele deve procurar a gerência ao final para descartá-lo na bombona específica.

Contribuição

A contribuição financeira das feiras é de 23% do faturamento bruto do produtor e nas feirinhas segue o modelo de contribuição explicitado anteriormente. Essa quantia deve ser transferida em até 3 dias úteis após a feira para a conta da Junta Local e o formulário de contribuição preenchido - link aqui. Importante ressaltar que devido ao grande número de transações, nosso financeiro só consegue dar baixa na contribuição através do formulário.

Feedback

Na semana seguinte à participação da feira, o produtor recebe um e-mail com um formulário para avaliação da feira em diversos aspectos. Ressaltamos a importância desse preenchimento para que cada vez possamos nos atentar a determinados acontecimentos, melhorar nossa estrutura e avaliar pontos negativos e positivos levantados.

Outros pontos de contato e informação

Através do nosso grupo no whatsapp por vezes fornecemos informações adicionais sobre as feiras e atualizações mais dinâmicas. No entanto, o canal oficial para informar mudanças e dar feedbacks é o nosso email e o formulário de feedback.

20191512-junta-local-gavea-35.jpg
2018-02-04-junta-local-capistrano-2.jpg
2018-01-27-junta-local-gloria-5 (1).jpg

Ficou com alguma dúvida?

Entre em contato com comunidade@juntalocal.com

Visite juntalocal.com e conheça nossas plataformas e feiras. 

bottom of page