Hidromel "B"

hidromel clássico, hidromel em variações com frutas, especiarias e óleos essenciais

Bernardo Damásio

Rio de Janeiro – RJ

Foto de perfil dos produtores

O hidromel é uma bebida histórica que resulta da fermentação do mel, sempre que em contato com água e leveduras, e com a atuação do tempo. Acredita-se que praticamente em todos os lugares do mundo onde houvesse abelhas e, consequentemente, colmeias com mel, desenvolveu-se uma tradição do uso dessa bebida alcoólica, resultado de fermentação natural. Pesquisas mostram que o hidromel era consumido pelo homem pré-histórico, pelos antigos hindus, persas, egípcios, gregos, povos germânicos, eslavos e latinos. Com a aparição do vinho em países onde a uva podia ser cultivada, o hidromel foi sendo esquecido, permanecendo vivo somente nas regiões mais frias do norte da Europa e na cabeça de aficionados e pesquisadores.

O hidromel é também uma bebida lendária e mitológica. Em algum momento o homem percebeu que a água das chuvas acumulada em colmeias magicamente se transformava numa deliciosa e inebriante poção. Na Grécia clássica o delicioso líquido recebeu o nome de melikraton e em Roma, era conhecido como acqua mulsum. Plínio conta que foi Aristeu quem criou a primeira fórmula do hidromel. Aos jovens nubentes, na antiga Grécia, era oferecido o hidromel, daí a expressão "lua de mel", pois se acreditava que esta sagrada bebida tinha poderes afrodisíacos. Também na mitologia germânica o hidromel era a bebida dos deuses e heróis. Outras culturas antigas consumidoras desta bebida foram os celtas, saxões e vikings. O imaginário do hidromel continuou vivo com J.R.R.Tolkien, J.K.Rowling, C. S. Lewis, Bernard Cornwell, que citam-no em suas obras literárias.

Finalmente, o hidromel é uma forma do Bernardo, o "B", exercer sua presença consciente, um estado físico, mental e emocional de placidez e conexão com a natureza e as pessoas. Fazer a bebida evoluiu de uma forma de querer compartilhar a sua alquimia feita com base no mel (produzido longe de locais onde há agricultura com emprego de agrotóxicos, evitando a contaminação indireta), água mineral alcalina, leveduras e nutrientes alemães de alta qualidade, frutas de cultivo orgânico, especiarias brasileiras e importadas de outros países e óleos essenciais que transportam quem degusta seu produto a outras dimensões de consciência.

O processo de Bernando é absolutamente artesanal. O hidromel é fermentado, em pequeníssima escala, utilizando fermentadores com nove litros de capacidade. As leveduras entram nesses “berços de água e mel” e passam por um período de mágica, fermentação que dura entre dois e três meses. No momento certo, Bernardo entra com sua própria magia acrescentando ingredientes de aroma e sabor (frutas, especiarias e óleos essenciais). Findo o ciclo de vida das leveduras, passa-se ao processo de purificação, clarificação e filtragem.

O cuidado do "B" não para aí. Depois disso, o precioso liquido hibernará em pequenos barris de carvalho francês, por períodos que variam de um a três meses, conforme a composição. De olho nos detalhes, o hidromel de Bernardo vai para uma elegante garrafa transparente, cuidadosamente esterilizada e selada.

Cada safra do Hidromel "B" é única. A cada ciclo Bernardo busca novas inspirações e composições.

A Junta Local recomenda que todo ser planetário e transiente faça o seguinte: sirva o hidromel do "B" em um cálice, à temperatura de aproximadamente 12˚C e sorva-o atentamente e vivendo o momento presente!